Loading...

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Rock do dia 29/08/2011 Radiohead "Staircase"




                                             Biografia


O Radiohead é uma das maiores e melhores bandas dos anos 90, fazendo parte do movimento "britpop" com outros grupos como Blur, Oasis e Teenage Fanclub. Mas seu diferencial é justamente ser uma banda absolutamente original, misturando o psicodelismo dos anos 60, toques progressivos e letra absolutamente deprês e geniais, cortesia do vocalista Thom Yorke.

Em 1992, com a explosão do novo rock inglês (gente como Blur e Ride estouravam nas paradas) e o boom ainda maior do grunge, Thom Yorke (guitarra, vocais, teclados), Colin Greenwood (baixo), seu irmão Jonny (guitarra), Ed O'Brien e Phil Selway (bateria) montaram o grupo On A Friday. A banda foi abrir o show do obscuro grupo Candyskins, coberto pelo importante semanário inglês Melody Maker. Mas foi o On A Friday quem supreendeu os críticos: "Nome horrível, inadequado para a impressionante intensidade dessa turma (...) Promissor é pouco".



Thom e seus amigos providenciaram rapidamente uma mudança de nome. Viraram Radiohead por causa de uma música do LP True Stories, da genial banda dos anos 80, Talking Heads. Os produtores foram a um ensaio ver o potencial do grupo e saem desanimados, gostando apenas de uma música: "Creep". Como o Radiohead, inseguro, não consegue indicar nenhuma outra canção, ela virou o single em 1992. Absolutmente descartado pela Inglaterra, o single estoura nos Estados Unidos e torna a banda famosa.

Em 1993, sai o primeiro disco do grupo, Pablo Honey, com o já hit "Creep". O disco contém piques grunge e punk, e foi gravado em apenas três semanas. Além de "Creep", tem bom punk rock ("How Do You?"), o deboche de "Anyone Can Play Guitar" e boas canções demonstrando personalidade, como "Stop Whispering" e "Prove Yourself". O disco vende 700 mil cópias.

Em 1995, a banda lança o maravilhoso "The Bends", com tendências completamente depressivas, sendo comparado com o clássico "Berlin", de Lou Reed. O disco contém a maravilhosa "Fake Plastic Trees", uma balada melancólica, que estourou até no Brasil, onde foi tema de uma propaganda sobre a Síndrome de Down. Outras belas canções desse disco são "High And Dry" e "Planet Telex", o que o impulsa a 2 milhões de cópias.

Um pouco depois, veio a obra-prima: em 97 é lançado o magnífico "OK Computer". O disco é instigante e angustiador, perturba e hipnotiza qualquer pessoa. Vende 4 milhões de cópias, e é eleito pelos leitores da revista Q como o melhor de todos os tempos. Começando por "Airbag" e seu refrão poderoso, passando pelo já clássico "Paranoid Android", uma espécie de Bohemian Rhapsody dos anos 90, baladas como "No Surprises", "Karma Police", música sombrias como "Exit Music (For A Film)", "Let Down" e "Bringing Down The Walls" e porradas como "Electioneering". Musicalmente mais sofisticado, "OK Computer" tem elementoseletrônicos e estruturas em quatro movimentos. Thom diz que procurou escrever as letras, menos pessoais, como um observador, à moda de "A Day In The Life", dos Beatles.

Agora o grupo prepara o sucessor de "OK Computer", enquanto compõe, paralelamente, a trilha sonora da minissérie "Eureka Street: A Novel Of Ireland Like No Other", do escritor irlandês Robert McLiam Wilson.

O quarto disco do Radiohead saiu finalmente no dia 4 de outubro de 2000. O álbum foi bastante elogiado pela crítica, mas para muitos fãs houve um impacto inicial, uma vez que Thom Yorke e seus parceiros mergulharam de vez em sonoridades experimentais e anti-convencionais. Thom Yorke taxou "Kid A" como um suicídio, e disse em todas as entrevistas que estava cansado de fazer rock, e que a partir desse disco queria fazer apenas "música". E que assim seja! Afinal, "Kid A", assim como os três discos anteriores, são "música" da melhor qualidade.



Em 2001, a banda lançou "Amnesiac", outro álbum totalmente mergulhado em sonoridades experimentais e onde as guitarras foram praticamente deixadas de lado. Os fãs não demoraram para taxá-lo como uma continuação de "Kid A". Do disco, saem algumas belas canções como "Pyramid Song".



No ano seguinte abanda lançou "I Might Be Wrong", um registro ao vivo com repertório baseado em "Kid A" e "Amnesiac". Do disco saiu também uma canção inédita, uma balada chamada "True Love Waits".

Em junho de 2003, a banda lançou "Hail To The Thief", que parece fundir todos os estilos pelo qual o Radiohead já passou em um só disco. Desde a percussão estonteante de "There There" até os violões de "Go To Sleep", e passando pelo piano de "Sail To The Moon" e pela batida e "Sit Down, Stand Up", o Radiohead prova a sua excelência como uma das melhores bandas dos últimos tempos.

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More